Acabe com a caspa com essas 6 dicas.

Substâncias podem ajudar a controlar o problema, mas é importante se atentar ao modo de usar.

A caspa, seborreia ou dermatite seborreica é uma condição de pele muito prevalente em nosso meio, que afeta os locais ricos em glândulas sebáceas. Pessoas com este problema desenvolvem uma inflamação na pele que pode ser identificada pela presença de descamação branco-amarelada e oleosidade excessivas. É frequente, sobretudo, no couro cabeludo, mas pode aparecer atrás das orelhas, sobrancelhas, ao redor do nariz e na região do tórax.

As mulheres que possuem cabelos escuros e compridos observam o surgimento de inúmeros pontos brancos aderidos aos fios, mas o problema é mais frequente em homens. Outros sintomas são coceira isolada e placas vermelhas e descamativas.

O tratamento da caspa é feito com xampus e loções locais, mas pode ser necessário utilizar medicação oral nos casos em que as lesões se infectam, por exemplo. Alguns médicos usam suplementos que possuem funções como o equilíbrio da flora do couro cabeludo, entre outras. No entanto, inúmeros posts e vídeos na internet ensinam sobre o uso de uma série de substâncias com promessas de controle da caspa.

1 - Mel

O mel tem propriedades umectantes e antibacterianas. Quando usado no couro cabeludo, antes da limpeza com xampus, pode ajudar a recompor a barreira cutânea, que está afetada na caspa, e facilita a remoção de escamas e placas, sem agredir a região. A recomendação é que não se deixe o mel secar no couro cabeludo: o contato com o produto deve ser feito por, no máximo, 30 minutos antes da limpeza.

2 - Vinagre (branco e de maçã)

O vinagre é o ácido acético, um ácido leve, que tem a propriedade de acidificar o pH local. Isso ajuda a conter a proliferação de fungos e pode melhorar a oleosidade local. Ele tem efeito adstringente e auxilia na remoção de substâncias químicas que podem estar aderidas aos fios, além de fechar as cutículas. Recomenda-se o seu uso diluído em água, na proporção de 1 parte de vinagre para 3 partes de água. Da mesma forma que o mel, para caspa, o produto deve ser aplicado no couro cabeludo, no início do banho, antes do xampu e removido apenas no final. Para outras funções do vinagre veja esse artigo, também publicado no Minha Vida.

3 - Óleo de coco

Ele é rico em ácido graxos saturados de cadeia média, como o láurico, cáprico, caprílico, mirístico e palmítico. O láurico representa 40% das gorduras do óleo de coco e tem propriedades antimicrobianas. Além deles, temos ácido graxos insaturados como o linoleico e oleico e polifenóis, que conferem o aroma característico ao coco, vitaminas E, K e ferro. Do ponto de vista do uso tópico, no couro cabeludo, ele é um bom umectante e, assim como o mel, pode ajudar bastante a remover as crostas, melhorar a inflamação e a barreira cutânea, além de ter efeito antimicrobiano. Deve ser usado no couro cabeludo seco horas antes da limpeza. Quando for lavar os cabelos, prefira um xampu antirresíduo e evite água quente, que favorece a formação da caspa.

4 - Bicarbonato de sódio

O bicarbonato de sódio possui funções esfoliantes, ou seja, ele consegue reduzir a adesão das escamas ao cabelo e ao couro cabeludo e pode ser utilizado para esta finalidade. No entanto, a própria natureza básica do produto (pH alto, alcalino) poderia danificar os fios, portanto é algo que não recomendo para mulheres com cabelos compridos ou que foram submetidas a tratamentos químicos, pois isso pode levar a um ressecamento excessivo dos cabelos. O produto deve ser dissolvido em um copo com 100 ml e utilizado no couro cabeludo, por 5-10 minutos, antes do xampu.

5 - Suco de limão

O suco do limão é rico em ácido ascórbico, a vitamina C, e também possui propriedades semelhantes às do vinagre. Deve ser utilizado da mesma maneira, diluído em água e antes da lavagem.

Aqui faço um alerta conhecido, mas fundamental: Sempre que mexer com limão, lembre-se de lavar MUITO bem as mãos e a pele e evitar a exposição solar logo após. O suco do limão em contato com a pele, diante da exposição ao sol, pode levar a queimaduras graves e manchas!

6 - Aspirina

A aspirina é feita de ácido acetil salicílico (AAS). Não por acaso, vários dos produtos para caspa são formulados com ácido salicílico, uma substância muito semelhante quimicamente. A diferença fundamental entre os dois é que o AAS é um éster do ácido e foi feito assim para proteger nosso estômago dos malefícios do ácido, mas também o torna menos eficiente. Entre as propriedades do ácido salicílico estão sua capacidade anti-inflamatória, antifúngica, antibacteriana e esfoliante. Ou seja: é um ótimo produto para aqueles pacientes que sofrem com a caspa! No entanto, por tudo o que já foi exposto, eu prefiro indicar xampus que já possuam o ácido salicílico em sua fórmula no lugar de usar o ácido acetil salicílico, que teria uma eficácia reduzida.

Lembre-se que a dermatite é uma doença crônica, ou seja: não há cura milagrosa! O objetivo do tratamento consiste em manter os sintomas sob controle.

É importante frisar que esses tratamentos devem ser utilizados de forma complementar ao tratamento dermatológico principal, que é feito com xampus anti-caspa. Não faça todos ao mesmo tempo e, caso os sintomas persistam ou se agravem, procure o médico dermatologista!

Artigos Recomendados