Um passeio em Barra Bonita

O clássico passeio da eclusa do Rio Tietê, em Barra Bonita, é um dos campeões de audiência no interior paulista. Todo fim de semana, famílias aportam na cidade para conhecer a mais famosa barragem do rio.

Pulamos cedo da cama nesse domingo. Logo após o café da manhã, por volta das 7:30h já estávamos à caminho da casa de nossa amiga em Monte-Mor/SP, para depois partirmos para Barra Bonita/SP, onde faríamos um passeio de “navio” no Rio Tietê, conhecendo inclusive a eclusa existente na barragem do rio.Eclusa???

Sim, o nome é esse. Trata-se simplesmente de um elevador de água, usado para levar os barcos do nível mais alto do rio (antes da represa) até o nível mais baixo (após a represa) e vice-versa. Veja mais em http://www.xumbury.com.br/AEclusa.htm

Partimos com destino à Barra Bonita através da SP-101 e SP-127, passando por Capivari, Rafard, Tietê (estrada bem remendada, muito ruim), até chegarmos na Rod. Marechal Rondon, por onde seguimos até São Manuel e pegamos a SP-255 até Barra Bonita.

Foi um passeio agradável, com a dona patroa e sua amiga “tagarelando” o caminho todo.

Chegamos em Barra Bonita por volta das 11:30h. A cidade estava bem movimentada; demoramos um pouco para encontrar um local para estacionar.

Fomos até o porto e compramos nossos ingressos para o navio. Como o passeio seria apenas às 14:30h, fomos almoçar no restaurante indicado pela vendedora dos ingressos, restaurante MammaMia. Comida boa, caseira. Ambiente bem familiar.

Após o almoço, fomos passar o tempo na Praça do Artesanato, xeretar as barracas e seus produtos. Como o calor era grande, procuramos por uma sombra para ficar nos minutos que antecederam nosso embarque, acompanhados por água geladíssima.

Pouco depois o navio chegou, e rapidamente embarcamos, procurando por um local que oferecesse uma boa visão do passeio. Já em “alto-rio”, o comandante nos informava – entre uma piada e outra sobre sogras – sobre o cenário ao redor, citando a marina da Marinha, hotéis, Usina da Barra etc

A represa é um espetáculo à parte. Devido à baixa oxigenação do rio, suas comportas estavam semi-abertas, liberando água da barragem

Após navegarmos em frente à barragem, nos dirigimos para dentro da eclusa, juntamente com outra embarcação. A porta suspensa que quando baixada fecha a eclusa pesa 120 toneladas, e dentro do “elevador” são depositados 50 milhões de litros de água, para elevar as embarcações a 26 metros, até o nível superior. 12 minutos é o tempo de enchimento.

Após subirmos no elevador, fizemos um breve passeio pela represa, e depois nos direcionamos novamente para a eclusa, para descermos ao nível inferior e seguirmos até o porto.

Há um local onde o pessoal toma banho de rio, tipo uma “prainha”. Muitos pescadores nas margens; também tem um pessoal passeando de jet ski.

No caminho de volta, optamos por seguir pela Mal Rondon até metade do caminho, afim de evitar a pista esburacada no período da noite. Próximo a Cesario Lange desviamos para a rodovia Castelo Branco. Pegamos uma boa chuva no caminho.

Foi um passeio gostoso, um domingo diferente.

O clássico passeio da eclusa do  Rio Tietê, em Barra Bonita, é um dos campeões de audiência no interior paulista. Todo fim de semana, famílias aportam na cidade para conhecer a mais famosa barragem do rio.

São  dois tipos de roteiro com duração de três horas (com almoço) ou 1h30 (sem refeições, apenas serviço de bar). Os roteiros mais longos percorrem 15 km de rio: para cima, atravessam a eclusa e vão até a confluência do Tietê com o Rio Piracicaba; para o lado oposto, com mais vegetação e pássaros, passa por uma antiga pousada usada pelo Imperador D. Pedro II.

Na opção mais curta, a embarcação apenas sobe e desce a eclusa, retornando para o porto.

Preço: R$ 30 (passeio sem almoço) e R$ 90 (passeio com almoço). Grátis para crianças até 5 anos; de 6 a 12 anos paga meia

Artigos Recomendados