Final de Semana no Guarujá/SP

Guarujá: banho de mar, vida noturna e lazer para todos os bolsos

Mal chegamos do Uruguai e já pegamos estrada. Havíamos comprado um final de semana no Guarujá, através de um desses sites de compra coletiva.Dessa vez não fomos sozinhos: convidamos mamãe e irmã.

Partimos na sexta-feira por volta das 20h, chegando na pousada próximo da meia-noite. Optamos por seguir pelo Rodoanel Mario Covas ao invés de entrar na Marginal Pinheiros. Em minha opinião, dá uma volta danada. Acho que uns 50 km a mais.

A Pousada Favo de Mel é modesta, localizada na Praia do Perequê. Apenas quatro quartos, todos com banheiro individual, ventilador de teto e TV/DVD. Não há frigobar, mas tem uma cozinha comum onde você pode usar tanto a geladeira como os demais itens (micro-ondas, fogão, talheres etc), pagando um pequeno valor à parte. O café da manhã também é cobrado em separado (R$ 10,00 por pessoa). Leve suas toalhas de banho e praia.

Nós optamos por tomar café numa padaria próxima. Pão na chapa e café com leite. Não custou R$ 10,00 para nós quatro.

No sábado, até o horário do almoço, ficamos na Praia de Pernambuco. Chegamos cedo lá, por volta de 8h30min. Estava bem vazia ainda, mas não chegou a ficar lotada com o passar do dia.

A água estava muito boa. Poucas ondas, água transparente, aproveitamos bastante. Na hora de sair para almoçar, como sempre tem aquele pessoal que finge olhar seu carro para ganhar uma grana. Simplesmente ignorei.

Fomos almoçar no restaurante El Faro, na Praia da Enseada. Muito boa a refeição. O prato para dois que pedimos serviria facilmente três pessoas. Claro, depende da pessoa.

Na parte da tarde ficamos por ali mesmo, até umas 18h45min, quando voltamos para a pousada, tomamos banho e saímos para comer uma pizza. A dona da pousada indicou a Pizzaria Pinguim. Boa a pizza.

No domingo, escolhemos ficar na Praia de Pitangueiras, mais badalada. Estava um pouco mais cheia comparada com as praias do dia anterior. Por ter águas mais agitadas, com ondas maiores, estava repleta de surfistas.

O café da manhã foi numa padaria mais chique, na Estrada de Pernambuco. Mas o atendimento… bem lerdinho. E tudo mais caro. Os mesmos itens do dia anterior custaram R$ 18,00. E mal encostamos o carro já chegaram uns garotos pedindo pra olhar o carro. “Não precisa!”.

Não sei se cabe à prefeitura ou bombeiros, mas seria interessante delimitar uma área para os surfistas onde os banhistas não possam ficar, e vice-versa. Digo isso pois, por diversas vezes o surfista, aproveitando a onda, seguia “desembestado” com sua prancha na direção dos banhistas, que mal tinham tempo de desviar.Presenciei várias situações de quase acidente.

Por volta das 13h “levantamos acampamento” e voltamos para a pousada. O almoço foi o risoto do dia anterior, que pedimos para embrulhar para viagem (sobrou muito). Saímos do Guarujá lá pelas 15h. Na Rodovia dos Imigrantes, transito tranquilo. Nada como viajar fora do feriado.

Pernambuco:  praia de areias brancas e finas. Em alguns pontos, o mar é tranquilo. Em outros, tem ondas medianas e fortes, ideal para relaxar e para quem curte  esportes náuticos  como  surfe , caiaque ou bodyboard

Artigos Recomendados