Quer conhecer agora a Cidade Proibida da China?

Cidade Proibida em Beijing na China

Estamos iniciando uma série de artigos sobre lugares que visitei ao longo da minha vida profissional.

Não me proponho a ser um guia de turismo, mas gostaria de compartilhar com vocês, alguns lugares das muitas viagens que realizei que me impressionaram bastante.

Sempre procuro saber alguma coisa sobre os lugares que vou e será dessa forma que apresentarei essas resumidas informações turísticas para incentivar alguns de vocês que não conheçam o lugar.

A Cidade Proibida é considerada uma das mais interessantes obras arquitetônicas da antiga civilização chinesa. Sua construção foi elaborada durante o governo do imperador Yung Lo, o terceiro monarca da dinastia Ming. Além de compor o centro decisório do império chinês, a cidade assinalava a distinção entre a realeza e os súditos.

A sua construção demorou quatorze anos para ser concluída. A demora na construção faz jus à área de 720 mil metros quadrados ocupados por toda a família do imperador, um grande número de serviçais, concubinas, herdeiros e eunucos. O nome “Cidade Proibida” foi dado por conta do rígido sistema de segurança que controlava a saída e entrada de pessoas no local. A grande maioria dos funcionários que viviam na cidade poderia viver sem nunca colocar os pés para fora daquela suntuosa obra.

Eu achei impressionante que apesar do enorme número de pessoas, o local é tão grande que se consegue circular pelo complexo arquitetônico. Uma coisa que me chamou atenção é que você vai caminhando em direção há alguma construção em frente. Ao atravessá-la e olhar em frente se vê outro complexo imenso. São construções interligadas e de grande beleza.

Outro fato interessante é que toda a decoração da Cidade Proibida era inspirada pela arte milenar do feng shui. Um método de decoração que promete atrair bons fluidos com a disposição correta das construções e objetos. A superstição era bastante grande na decoração de todas as construções ali encontradas. O Chinês é muito supersticioso até os dias de hoje.

A grande maioria dos telhados da cidade era pintada de amarelo, coloração associada ao poder imperial e à prosperidade. Além disso, o uso de figuras de animais distinguia a importância entre as construções arquitetônicas.

Em várias épocas, a Galeria da Eminência Militar foi usada pelo imperador para receber ministros e reunir a corte. Virou uma espécie de setor de análise estratégica em tempos de guerra. Hoje, abriga a Galeria de Pintura – com a maioria das obras de arte feita no palácio.

O principal templo é a Galeria da Harmonia Suprema, que era reservada para cerimônias importantes, como coroações e aniversários do imperador. Apenas ele podia entrar pela rampa de mármore adornada com esculturas de dragões. Até hoje estão no salão os carrilhões musicais de jade e o Trono do Dragão, de onde o imperador emitia suas decisões absolutas.

Artigos Recomendados